Todos os posts de Uélyson Colatto

Boletos maliciosos de renovação de domínios

Em razão de continuadas tentativas de iludir a boa fé dos usuários do Registro brasileiro, alertamos para que prestem atenção aos boletos recebidos que não sejam provenientes de seu provedor de hospedagem habitual.

Boletos do Registro.br devem ser obrigatoriamente emitidos através do nosso website. O Registro.br não envia mais boletos por via postal em nenhuma circunstância; correspondências relativas à cobrança pelo Registro.br tem apenas um endereço web de nosso próprio site (https://registro.br/…) que permite a emissão do boleto.

Boletos emitidos no site do Registro.br, referentes ao pagamento do registro e manutenção de domínio sob o “.br”, possuem as seguintes informações:

CEDENTE NIC.br – CNPJ 05.506.560/0001-36
BANCO 237-2 – Bradesco
AGÊNCIA/CÓDIGO CEDENTE 2370-1 / 0029998-7

Observem também na parte superior do boleto a existência do logotipo do Registro.br e os dados do NIC.br, conforme imagem abaixo:

Dados do Boleto

O valor do boleto emitido pelo NIC.br depende do período de manutenção escolhido para seu domínio, podendo variar de 1 a 10 anos. Para saber mais clique aqui.

Em caso de dúvida, antes de realizar o pagamento, contate a nossa Central de Atendimento.

Fonte: Registro BR
Texto retirado do site: http://registro.br

Custom Post Types no WordPress

wordpress-logo-hoz-rgb

Hoje o WordPress não é visto mais como apenas uma ferramenta de administração de blogs mas sim como um poderoso CMS, ou seja, um grande gerenciador de conteúdo.

Como acostumamos com o WordPress para blogs presenciamos apenas alguns tipos de postagens que se fazem presentes como criação de páginas e posts.

Para darmos mais flexibilidade e podermos explorar outros tipos de conteúdos no WordPress podemos criar Custom Post Types (Tipos de posts customizados) para o distribuirmos as nossas postagens de forma como bem entendermos, como por exemplo, criar tipos de conteúdo para produtos, notícias, fotos, entre outros distintamente.

Temos duas opções que podem ser utilizadas para a criação dos tipos de post: a solução de forma manual ou a solução que envolve menos código fonte e se faz uso de um plugin. Bom, facilitando a vida de todos inclusive a minha vamos pelo lado mais interessante e mais fácil, que é a utilização do plugin More Types  que fará esse processo de criação de novos conteúdos.

Ao instalar o plugin pelo WordPress ele se localizará em Configurações -> More Types. Entrando nas configurações do plugin agora é fácil, acionamos o botão “Add new Post Type” e partimos para o cadastro do post type. Obrigatóriamente cadastramos o nome do nosso tipo de conteúdo em “Post type name singular” esse vai ser um nome que identificará esse tipo de conteúdo de preferência sem acentos, espaços e utilizando somente letras minúsculas, como por exemplo: produtos.

Depois disso temos várias opções para a personalização da nossa seção conforme as suas necessidades. Antes do botão “Save” temos uma aba “Advanced settings” com mais opções e configurações do post type criado. Após a configuração é só salvar o seu conteúdo. Após salvar atualize sua página, que a sua seção estará disponível na coluna da esquerda de seu gerenciador.

custom_post_types_exemple

Usando o Custom post type no seu template

Depois de configurado o novo tipo de post e tendo cadastrado alguns, precisamos fazer com que ele apareça em seu template no lugar desejado.

Então no lugar desejado do seu template precisamos chamar o nosso tipo de conteúdo através das tags utilizadas pelo o WordPress. No nosso caso o código para a inserção do tipo de conteúdo “produtos” ficaria assim:

 

$args = array( 'post_type' => 'produtos', 'posts_per_page' => 10 );

$loop = new WP_Query( $args );

   while ( $loop->have_posts() ) : $loop->the_post();

     the_title();

     the_content();

   endwhile;

 

Pronto inserido este loop do WordPress com os seus devidos parâmetros configurados, teremos o nosso tipo de conteúdo “produtos” aparecendo no seu template no lugar onde você preferir e da forma como preferir.

Espero ter ajudado, em breve retorno com outro post sobre como fazer Fields(Campos) personalizados para complementar o nosso Custom Post Type(Tipo de conteúdo personalizado).

Hudson – Integração Contínua

Hudson é uma ferramenta de integração continua que monitora a execução de trabalhos que envolvem diversas mudanças em um mesmo projeto de software. A ferramenta Hudson foca na construção e experimentação de projetos de software continuados, assim tornando mais fácil o trabalho de desenvolvedores na integração de alterações em seus projetos. Sendo que esta construção continua integrada faz com que aja um aumento de produtividade.

O Hudson também tem como foco a monitoria dos trabalhos, de forma completa, sendo eles locais ou externos, fazendo do Hudson uma ferramenta administrativa de suma importância no desenvolvimento e controle do software. Proporcionando um controle de qualidade eficiente.

Testes

Uma das principais funcionalidades do Hudson é a realização de testes nos sistemas submetidos à integração continua. Testes unitários tomam muito tempo do programador, às vezes se tornam complexos e demorados, ou às vezes são muitos com complexidade reduzida. O Hudson vem neste contexto como um legitimo servidor de testes, que pode receber inúmeros projetos, de vários servidores externos ou internos, que fazem a build de projetos.

Construção de projetos

Hudson suporta a construção e integração de inúmeros projetos, sendo assim várias equipes de desenvolvedores poderão fazer uso do mesmo servidor e aplicação Hudson, mas trabalhando em tarefas distintas. Também contando com diversos recursos automatizados como atualizar a sua cópia de trabalho antes de executar uma compilação, assegurando que um projeto desatualizado não seja novamente compilado na mesma versão.
Agendamento de tarefas e construções de projetos podem ser automatizadas, de forma que com uma configuração simples, tarefas básicas são executadas sem mais nenhuma configuração. Tarefas como a construção de projetos a cada intervalo de tempo determinado, fazer com que projetos não sejam construídos ao mesmo tempo, evitando conflitos, entre outros fatores que tornam a integração continua dinâmica e autônoma, economizando tarefas que seriam executadas manualmente por uam equipe de desenvolvimento.

Plugins

Ferramentas de verificação de erros e melhoria de desempenho, como o PMD, JUnit e outras ferramentas se fazem presentes no Hudson em forma de plugins. Esses plugins são facilmente encontrados dentro da própria plataforma, e podem ser integradas a qualquer construção de projeto, aumentando o repertorio de informações sobre determinada construção que foi realizada.
O Hudson nos proporciona um vasto campo de informações necessárias para o acompanhamento da produção. Geração de relatórios de utilização, testes unitários, tarefas entre outros fazem parte desse meio de integração. Assim podendo remeter arquivos externos para outras aplicações, por emails entre outras formas de compartilhamento de dados.

Controle de usuários

Por se tratar de um servidor que pode ser acessado por diversos usuários em uma rede interna ou externa, o Hudson também conta com um bom sistema de controle de usuários que acessarão a aplicação. A fim de conter quaisquer intrusos ou alterações irregulares nas tarefas. Sendo que a forma como o usuário usa a ferramenta pode ser analisada, através de diversas estatísticas.
O Hudson pode facilmente suprir a necessidade de projetos de pequeno e médio porte, executando até mesmo as tarefas mais básicas que economizam tempo do desenvolvedor e melhoram a qualidade do sistema. Mas o Hudson também é com certeza uma ferramenta completa para projetos de grande porte, suportando até mesmo vários servidores de projetos em paralelo. Centralizando toda a administração em apenas um servidor Hudson.

Site oficial: http://hudson-ci.org/

Criando formulários com o Google Docs

As vezes surge a necessidade de elaborarmos formulários para pesquisa, enquetes, votações, entre outros e a incluirmos em nosso site, blog, ou de compartilharmos na web para que os internautas façam o uso dos mesmos.

Me deparando com uma tarefa destas em meu trabalho tive a necessidade de buscar uma ferramenta que pudesse me ajudar na criação de um formulário online. Foi quando descobri que o Google Docs possui este recurso que no meu caso resolveu 100% do problema.

Para começarmos basta apenas termos uma conta do Google e acessarmos o endereço e entrarmos no google Docs.

Ao entrarmos localizaremos o botão CREATE e escolhemos a opção form como a imagem mostrada abaixo:

Após criarmos o formulário agora entraremos na tela de criação dos campos do formulário. Podemos escolher entre diversos formatos para a nossa questão como: campo texto, texto parágrafo, múltipla escolha, Checkbox, Listagem, Scala e Grid.
Assim personalizamos a questão de acordo com a nossa necessidade.

Após concluído clicamos no botão Done, se caso quisermos incluir mais alguma questão nos remetemos ao canto superior esquerdo da tela no botão ADD Item para inserirmos mais uma questão ao nosso formulário. Se caso concluído apenas nos remetemos ao botão Saved no canto superior direito da tela. A tela é mostrada logo abaixo:

Compartilhando e Incorporando o formulário.

Após o nosso formulário ser salvo temos a opção de incorporá-lo ao nosso site, blog, onde for, através de um Iframe. Na opção More actions acionamos o campo embed e logo depois copiamos o código que aparecerá na janela, ou seja, o código do iframe, que poderá ser colado em qualquer lugar de seu site ou blog.

Para acessar os resultados no Google Docs basta entrar lá e procurar o arquivo do formulário que foi criado, assim os resultados se apresentarão em forma de planilha. Onde poderemos alterar, visualizar, gerar relatórios do nosso formulário através da opção Form() no menu da planilha. Como mostra na figura abaixo.

Essa foi mais uma dica aqui do nosso blog, assim como me ajudou pode também estar resolvendo o problema de outras pessoas. Muito obrigado, até a próxima.

Personalizando Select com JQuery

Muitas vezes nos deparamos com situações que exigem o uso da propriedade select em algum projeto web. As vezes o projeto exige dos programadores que o select seja mais elaborado ou diferenciado.
Nos padrões do HTML temos um select com poucas alternativas de customização, o que, em muitos casos não vem acalhar com as nossas reais necessidades de personalização.
Quando tudo esta difícil na web aparece o JQuery para resolver a nossa vida. O plugin Custom Select trás toda a flexibilidade para adaptarmos o nosso select da forma que for necessário.

Exemplo do select no código HTML:

<select name="dormitorios"  title="Exemplo:">
    <option value="1">1 exemplar</option>
    <option value="2">2 exemplar </option>
    <option value="3">3 exemplar </option>
    <option value="4">4 exemplar </option>
    <option value="5">5 exemplar </option>
</select>

Vamos para a configuração:

1 – Baixar a biblioteca principal do JQuery  jquery.tools.min.js

2 -Baixar o plugin jquery.customselect.js

3 – Chamar os arquivos js em seu html:

<script type="text/javascript" src="/path/to/jquery-1.4.2.min.js"></script>
<script type="text/javascript" src="jquery.customselect.js"></script>

4 – Inserir em seu código HTML a função que executa o nosso plugin;

<script type="text/javascript">
$(document).ready(function(){
    $('#select').SelectCustomizer();
});
</script>

 

CSS do select

Propriedade 1 – _iconselect

Vai ser a primeira parte do nosso select, onde se localizarão configurações como: tamanho da fonte, tipo de fonte, background do campo, entre outros.

Esta propriedade _iconselect é um sufixo gerado pelo próprio plugin.

Ex: A sua configuração no CSS ficará assim:

select_iconselect {
...
}

Propriedade 2 – _options

Esta propriedade é responsável pela configuração da nossa caixa de itens, ou seja, propriedades como tamanho da caixa, barra de rolagem entre outras. A propriedade no código CSS ficará assim:

select_options {
...
}

 

Propriedade 3 – selectwrapper e selectfooter

Esta propriedade vai configurar todos os itens do nosso select em associação com outras propriedades.

Aqui vai alguns códigos que serão relacionados com essa propriedade para a personalização do nosso select no CSS:

.selectwrapper {…}
.selectwrapper .selectitems{...}
.selectwrapper .last{...}
.selectwrapper .selectitems span{...}
.selectwrapper .hoverclass {...}
.selectwrapper .selectedclass {…}

Também temos a propriedade selectfooter que como o próprio nome induz, faz referencia a configurações do nosso rodapé, da caixa de itens.
No código CSS ficará assim:

.selectfooter {…}

Abaixo a imagem de um select personalizado:

OBS: Lembrando que estas propriedades são geradas automaticamente pelo nosso plugin. Por isso não incluímos nem uma dessas classes ao nosso HTML, apenas a propriedade select em sua forma natural.

Arduino – Plataforma de prototipagem eletrônica

 

Áreas como a eletrônica e computação estão diretamente ligadas, em várias formas como podemos presenciar nos computadores, celulares, eletrodomésticos entre outros. A primeira impressão é de que a comunicação de sistemas e lógica de programação são tarefas complexas para determinar  rotinas e funções para um hardware. Mas com ferramentas certas e de fácil acesso podemos contornar tarefas mais complicadas , afim de facilitar o uso,  até mesmo para pessoas com mínimos conhecimentos em eletrônica e computação.

O  Arduino é uma plataforma de Hardware Open-Source de criação italiana idealizada por Massimo Banzi , Cuartielles David , Tom Igoe , Gianluca Martino , David Mellis e Nicholas Zambetti, que colaboram desde o início do projeto,  e contam com a ajuda de um bom grupo de desenvolvedores.

Arduíno é um hardware flexível e de fácil adaptação à sistemas computacionais, utilizado para as mais diversas áreas(artísticas, designers, programadores, engenheiros) facilitando e automatizando todo o tipo de tarefa.

O Arduino possui um núcleo firmware onde  a programação de tarefas é enviada, isso em sua forma mais simples. O seu firmware recebe comandos com funções pré-definidas para a sua plataforma, funções que são baseadas na linguagem C, proporcionando facilidade e precisão na hora de implementar tarefas e funções a serem enviadas para o hardware.

Possuindo uma IDE de programação própria e gratuita, produzida na linguagem JAVA, nos proporciona diversos tipos de configuração para os diferentes modelos de hardware do arduíno e de entrada de dados. Também contém bibliotecas com todas as funções necessárias para que se possa realizar um projeto básico a um projeto mais complexo.

A  figura acima mostra a forma básica do Arduíno, ou seja, a sua plataforma programável. O Arduíno tem diversas ramificações, possuindo um grande número de instrumentos que podem ser facilmente adaptados ao modelo básico, que é usado como a motherboard e processador das informações provenientes da programação efetuada.

O Arduino possui instrumentos dos mais diversos como, sensores de temperatura, luminosidade, movimento, além de ferramentas magníficas como placa GPS, visores LCD ou até mesmo dispositivos SMS. Com este vasto arsenal de peças, todas facilmente acopladas à placa principal do Arduino podemos realizar projetos de diversos portes e para diversos campos, assim adaptando-se a tarefas mais exigentes de automação eletrônica e computacional.

Sabemos que por outro lado todo projeto que envolve equipamentos eletrônicos gera algum custo. O Arduino vem para ser uma das plataformas que mais se encaixam no quesito custo-beneficio, levando em consideração estudo, trabalho, projetos industriais e dos mais diversos ramos.

Com custo baixo e fácil adaptação, o Arduino se torna a plataforma de hardware mais interessante e atrativa para quem é fã da programação aliada com eletrônica. Proporcionando uma estrutura que pode crescer imensamente de acordo com as necessidades do ambiente  de sua atuação.

Ficamos por aqui neste primeiro contato com a plataforma Arduino. Em breve vamos explorar ainda mais a plataforma, afim de divulgarmos funcionalidades práticas e configurações para o desenvolvimento de projetos. Mas se você deseja proseguir e conhecer um pouco mais sobre esta plataforma visite o site oficial do Arduino.

 

Conheça a Tecnologia JAVA

Até hoje, a plataforma Java já atraiu mais de 6,5 milhões de desenvolvedores de software. É utilizada em todos os principais segmentos da indústria, estando presente em uma ampla gama de dispositivos, computadores e redes.

Sua versatilidade, eficiência, portabilidade de plataforma e segurança fazem dela a tecnologia ideal para a computação em rede. A tecnologia Java está em todo lugar! Ela pode ser encontrada em laptops, datacenters, consoles de jogo, supercomputadores científicos, telefones celulares e até na Internet.

A tecnologia Java está presente em mais de 4,5 bilhões de dispositivos, incluindo:

  • Mais de 800 milhões de PCs
  • 2,1 bilhões de telefones celulares e outros dispositivos portáteis (fonte: Ovum)
  • 3,5 bilhões de cartões inteligentes
  • Além de set-top boxes, impressoras, webcams, jogos, sistemas de navegação para automóveis, terminais lotéricos, dispositivos médicos, guichês de pagamento de estacionamento etc.

Para conhecer os locais de aplicação do Java in Action em sua vida diária, explore o site java.com.

Por que os desenvolvedores de software preferem o Java

O Java foi testado, refinado, ampliado e experimentado por uma comunidade dedicada. E, com mais de 6,5 milhões de desenvolvedores, é a tecnologia mais ampla e ativa do planeta. Com sua versatilidade, eficiência e portabilidade, o Java tem valor inestimável para desenvolvedores, pois permite:

  • Criar um software em uma plataforma e executá-lo em praticamente qualquer outra
  • Criar programas para execução em navegadores e serviços da Web
  • Desenvolver aplicativos no lado do servidor usados tanto em fóruns, lojas e pesquisas on-line, como no processamento de formulários HTML, e muito mais
  • Combinar aplicativos ou serviços usando a linguagem Java para criar aplicativos ou serviços altamente personalizados
  • Criar aplicativos potentes e eficazes para telefones celulares, processadores remotos, produtos de consumo de baixo custo e praticamente qualquer outro dispositivo com tecnologia digital

Algumas maneiras para que os desenvolvedores de software aprendam o Java

Atualmente, várias faculdades e universidades oferecem cursos de programação para a plataforma Java. Além disso, os desenvolvedores também podem aprimorar suas habilidades em programação Java lendo o site java.sun.com da Oracle, assinando os boletins informativos baseados na tecnologia Java, usando o Tutorial do Java e o Programa Principiante no Centro Java e ingressando em cursosWeb, virtuais ou ministrados por um instrutor

 

Fonte: Artigo retirado de: http://www.java.com/pt_BR/ acessado em: 08/06/2011