Arquivos da categoria: Linux Educacional

Como instalar Epoptes no Linux Educacional 4.0

Epoptes é um software open source para gerenciamento de laboratórios de informática. Ele permite o monitoramento de computadores, execução de comandos, envio de mensagens, bloqueio de tela, desligar, reiniciar e muitos outros recursos.

O Epoptes deve ser instalado no servidor e nos clientes que desejamos monitorar. Os passos seguintes devem ser feitos tanto no Servidor como nos Clientes.

Primeiramente execute o comando abaixo para instalar o patch

sudo apt-get install patch

Para o Linux Educacional devemos baixar uma versão otimizada do Epoptes.

Quem nunca trabalhou com PPAs no LE4 precisa baixar este patch antes de prosseguir:
http://redmine.c3sl.ufpr.br/attachments/download/106/distro.py-fix-linux-educacional.patch

Agora entre na pasta onde foi baixado o arquivo, extraia o arquivo, e depois execute o seguinte comando também dentro do diretório onde se encontra o arquivo:

sudo patch -p0 < distro.py-fix-linux-educacional.patch

Vamos então adicionar o PPA no Linux Educacional 4

sudo apt-add-repository ppa:oiteam/proinfo-83.2008

(substitua por 71.2010, dependendo do seu pregão)

Esses passos devem ser realizados tanto no Servidor como nos Clientes.

Agora somente no Servidor execute os comandos para instalar o Epoptes

sudo apt-get update && sudo apt-get install epoptes

Após instalar os pacotes, adicione o usuário professor ao grupo epoptes do seu servidor, executando o seguinte comando:

sudo gpasswd -a professor epoptes

Os passos abaixo devem ser feitos somente nos Clientes

sudo apt-get update && sudo apt-get install epoptes-client

Agora,  vamos usar o kate para editar o arquivo de configuração.

sudo kate /etc/default/epoptes-client

Na linha 7, retire o # da frente da palavra SERVER e substitua o valor depois do = pelo IP do servidor. Exemplo:

SERVER=192.168.0.114

Para descobrir o IP do Servidor digite o comando:

ifconfig

E, na saída, veja o valor do campo inet end da placa de rede desejada. No meu caso, é 192.168.0.114.

Após modificar o arquivo de configuração e salvá-lo vamos obter o certificado OpenSSL do servidor.

sudo epoptes-client -c 192.168.0.114

Substitua o valor 192.168.0.114, pelo IP do seu Servidor.

Para que o Epoptes inicie automaticamente quando ligarmos os Clientes vamos adicionar um script na pasta AutoStart do LE.

Crie um arquivo com o nome epoptes.sh com o conteúdo abaixo, no lugar do IP 192.168.0.114 você deve colocar o IP do seu Servidor encontrado anteriormente:

#!/bin/sh
epoptes-client 192.168.0.114

Agora pelo terminal entre na pasta onde foi baixado o arquivo e execute o comando abaixo para copiar o arquivo para a pasta Autostart de cada usuário, faça isso para cada usuário que você tiver no computador. Substitua aluno1 do comando abaixo, pelo nome de cada usuário, aluno2, aluno3, por exemplo.

sudo cp epoptes.sh /home/aluno1/.kde/Autostart/

Vamos dar permissão de execução ao arquivo copiado para a pasta Autostart, faça isso também para cada usuário, substituindo aluno1, por aluno2 etc.

sudo chmod 765 /home/aluno1/.kde/Autostart/epoptes.sh

Pronto, é só reiniciar os computadores e usar esse excelente programa.

 

 

 

 

 

 

Como instalar ou atualizar o plugin flash-player no Linux Educacional

O Mozilla Firefox é o navegador padrão do Linux Educacional, porém, ele não tem incluso o plugin Adobe Flash Player, que é necessário para visualizar com perfeição  páginas web que contêm animações desenvolvidas na linguagem Adobe Actionscript.

Este post tem como objetivo orientar a instalação do plugin Flash Player no navegador Mozilla Firefox, para usuários do Linux Educacional. Abaixo está descrito um passo-a-passo da instalação.

1. Primeiramente é necessário fazer o download do plugin, no próprio site da Adobe. No campo de seleção, escolha a opção .tar.gz para outro Linux. Posteriormente clicar em Baixe agora.

Download do plugin

2. Entrando na pasta onde salvou o plugin, irá localizar o arquivo com extensão .tar.gz, o que significa que o mesmo está compactado e é necessária a extração. A extração pode ser feita de duas formas, clicando com o botão direito do mouse e selecionando extrair aqui, ou então através do terminal, com o comando tar -vzxf nomedoarquivo.tar.gz .

3. Com a extração uma nova pasta será gerada, com o nome similar a flash-player, abra esta pasta e copie o arquivo libflashplayer.so.

4. Abra o gerenciador de arquivos modo super usuário,  clicando em menu LE, sistema, e selecionando gerenciador de arquivos (modo super usuário). Aparecerá uma tela requisitando uma senha, deve ser inserida a senha de super usuário.

5. Agora basta ir até a pasta /usr/lib/firefox/plugins. Enfatizo aqui que este caminho pode variar, por isto abra primeiramente o diretório /usr/lib, posteriormente localize a pasta firefox, que pode receber outros nomes similares, como por exemplo firefox3.0, dependendo da versão instalada. E por fim localize o diretório /plugins, onde deve ser colado o arquivo anteriormente copiado libflashplayer.so, caso já existir um arquivo com o mesmo nome, é porque já existe uma versão mais antiga do Flash Player instalada, então substitua este arquivo.

6. Para certificar-se de que o plugin foi instalado ou atualizado corretamente, feche todas as janelas do Firefox, e abra novamente. digite na barra de endereços about:plugins, e localize algo similar a Flash, e confira a versão.

Obs.: Este passo-a-passo foi testado apenas na versão 2.0, 3.0 e 4.0 do Linux Educacional. Na versão Linux Educacional para multiterminais, deve ser logado como professor para ter as permissões necessário à instalação. Processos similares devem funcionar para o sistema Ubuntu.